blog-banner

Como o just in time pode diminuir custos e melhorar os processos da sua empresa?

Publicado em: 01/04/2020 09:18 | Atualizado em: 01/04/2020 09:18

 

Saber como reduzir custos e manter o padrão de qualidade de produtos e serviços é um grande desafio das empresas atualmente. Afinal, além da alta concorrência do mercado, observamos clientes cada vez mais bem informados e exigentes.

 

Se você está interessado em conhecer um modelo de gestão que lhe permita focar nesses objetivos, então este post é para você! Aqui vamos apresentar a metodologia Just in Time, termo em inglês que em tradução livre significa “no momento certo”. Continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

 

Afinal, o que é Just in Time?

Just in Time, ou JIT, como o sistema é conhecido, é um modelo de gestão focado em resultados e melhorias de processos. Sua adoção visa minimizar erros e assegurar a qualidade do produto final durante o processo de produção, reduzindo as taxas de desperdício e custos de produção e logística e, consequentemente, aumentando a margem de lucro.

 

O modelo se baseia no princípio de que nada deve ser comprado, produzido ou distribuído até o “momento certo”. A venda do produto ativa o processo produtivo, a partir desse ponto os insumos devem ser transformados a tempo de se tornarem peças, as peças a tempo de se tornarem produtos finais e os produtos a tempo de serem entregues ao cliente.

 

O Just in Time estabelece a produção sob demanda, ou em outras palavras, a empresa só deve produzir em cada ciclo de produção os itens que são necessários, nas quantidades necessárias para aquele período.

 

Esse processo se repete a cada novo ciclo de produção, diminuindo a necessidade de espaço físico para estoques de insumos e de produtos acabados, reduzindo, assim, os custos com transportes e sistemas de distribuição, além do desperdício de insumos na produção.

 

O Just in Time é mais um modismo passageiro?

Nada disso! Inclusive, o Just in Time pode ser considerado um senhor idoso e experiente: nasceu no Japão nos anos 50, na fábrica da Toyota Motors Company e tornou-se referência entre os modelos de gestão da produção desde então.

 

Naquela época, o Japão, que foi devastado durante a II Guerra Mundial, passava por grave crise financeira e, por isso, a Toyota necessitava de métodos de produção mais eficientes que os clássicos Fordista e Taylorista empregados pelas indústrias americanas.

 

Entre outras diversas metodologias implementadas pela Toyota, o JIT visava reduzir os desperdícios da produção em massa, eliminando estoques de segurança, exigindo maior qualidade dos fornecedores nas entregas de insumos e na logística de distribuição. Tudo isso contribuiu não apenas para a redução de custos, mas também para a melhoria contínua dos processos de produção.

 

Ainda hoje a Toyota aplica a metodologia Just in Time, seguida por empresas dos mais diversos segmentos, tais como Votorantim, Embraer, Avon, Unilever, Fiat etc.

 

Como funciona o Just in Time?

Nos sistemas de produção clássicos são aceitáveis determinados níveis de desperdício, tempo de ajuste do maquinário e interrupção da produção por quebras de máquinas como parte do processo; o Just in Time, ao contrário, questiona a melhoria das características do processo, e busca o aprimoramento contínuo do mesmo. Se algum desperdício ou atraso na produção acontece, o JIT busca identificar o porquê.

 

Esse modelo adota estoques reduzidos justamente para ressaltar os problemas e permitir sua resolução, implicando em um novo conceito de administração da produção e um novo padrão de qualidade e de tratamento dos problemas.

 

A abordagem JIT é considerada tão eficiente, que extrapolou o escopo da gestão da produção, estendendo seus tentáculos para outras áreas da administração, tais como a gestão de materiais, da qualidade, a organização física dos meios produtivos, a organização do trabalho, a engenharia de produtos e a gestão de recursos humanos.

 

Como implementar o Just in Time no varejo?

Como você pode ver, são inúmeras as vantagens que o JIT trás para a gestão da produção, mas deve estar se perguntando “como aplicar essa técnica na minha loja”?

 

A  implementação do Just in Time no varejo tem características próprias, em função da própria natureza do negócio. O controle de estoques, a definição do ponto de pedidos e o relacionamento com a cadeia de suprimentos compõem a base de sustentação para aplicação dessa metodologia no varejo.

 

Para garantir que a empresa varejista trabalhe com estoques suficientes apenas para atender sua demanda, é necessário a modelagem do consumo por produto e por período.

 

A previsão da demanda no comércio sofre maior variação e apresenta maior dificuldade de previsibilidade que no setor de manufatura, assim, o modelo deve considerar séries históricas longas o suficiente para estabelecer essas variações, garantindo dados confiáveis sobre a demanda e a sazonalidade a que está submetida.

 

Com base no modelo de consumo, a empresa pode então definir o momento em que seus estoques chegarão a zero e, portanto, o momento em que novos produtos devem chegar aos estoques. O objetivo deste controle é definir o momento em que novos pedidos de compras devem ser disparados, ou seja, o nosso ponto de pedido.

 

Essa estratégia deve ser cuidadosamente pensada e orquestrada junto aos fornecedores, garantindo o alinhamento entre a produção na cadeia de suprimentos com a demanda do seu negócio. Resumimos a seguir os principais passos para implementar o Just in Time adaptados para sua empresa varejista.

 

Simplificação e otimização

É fundamental repensar toda a logística de compras, estoques e vendas para atender aos pedidos dos clientes de forma eficaz. A loja deve aprimorar constantemente os  modelos de consumo de seu negócio, de forma a satisfazer aos padrões de qualidade estabelecidos, evitar tempos de espera e responder rapidamente a alterações na demanda.

 

Ponto de pedido: é necessário treinar o pessoal e ter sistemas informatizados para que o trabalho flua de acordo com os novos métodos, objetivos e regras. Esse ponto é crítico para o sucesso da implementação do Just in Time na empresa.

 

Fornecedores

É necessário estabelecer relações de parceria com os fornecedores para que eles possam ofertar as quantidades necessárias de produtos acabados, com elevada qualidade, no tempo certo. Isso implica em tratar com um número restrito de fornecedores para que o alinhamento dos processos e objetivos da empresa e de seus fornecedores ocorra de forma harmônica.

 

Clientes

Novas relações deverão ser formadas também com seu público consumidor, para que eles possam entender e colaborar para que sua distribuição funcione de acordo com a metodologia Just in Time. Em troca do aumento de qualidade obtido, a empresa pode negociar um programa de entregas com seus clientes, de forma a balancear sua carga logística.

 

Controle de Estoques

Deve ser reajustado para funcionar no modelo JIT. Os estoques devem ser mínimos, mas adequados para atender à demanda do período. Os modelos de consumo devem ser tão precisos quanto possíveis e serão a base para o planejamento de novas encomendas.

 

O Just in Time serve para minha empresa?

O Just in Time é geralmente associado à gestão da produção da grande indústria e das grandes unidades de produção. Ao contrário da crença popular, esta técnica não diz respeito a séries de produção repetitivas ou longas, mas sim a redução de prazos e produção de pequenas quantidades. Assim, essa é uma técnica de gestão perfeitamente adaptável ao seu negócio!

 

Gostou deste post? Assine nossa newsletter e receba outras informações relevantes sobre a gestão da sua empresa por e-mail.

 

Para mais infomações sobre estoque, preços e condições comerciais acesse nossos Termos e Condições

© Todos os direitos reservados COMPLETA - 2020